Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 

Síntese da História de Bonfim

 

·   Fundada por Manoel Teixeira Sobreira, da Bandeira de Fernão Dias, em 1675, com a colaboração de Manoel Machado, ambos naturais de Salvador da Lixa, região de Porto, Portugal. Rocinha o primeiro nome, depois Vila de Nosso Senhor do Bonfim do Paraopeba, finalmente Bonfim.

·   É a primeira acidade do “Médio Paraopeba” e a primeira edificação a sede da “Fazenda Palestina”. Construíram o “Santuário de Nosso Senhor do Bonfim”. A imagem do Padroeiro, vinda de Setubal, Portugal, chegou no dia 15 de agosto de 1735, trazida pelos fundadores.

·     Formou-se Freguesia por decreto da Regência Feijó, em 14.07.1832, criado o Município pela Lei nº134, de 16.03.1839, emancipado em 07.10.1860, pela Lei nº1094, eleito José Manoel de Campos, Presidente da Câmara, primeiro administrador.

·     Bonfim participou da “Revolução Liberal de 1842”, liderança do Pároco João Batista Tristão.

·     A Comarca criada pela Lei nº11, de 13.11.1891, instalada pelo Juiz Manoel Pereira Teixeira, o primeiro juiz.

·     O co-fundador Manoel Machado é tetravô de Alberto Santos Dumond, o “pai da aviação”, homem notável no mundo.

·     Final do século XIX, Padre Antônio Trigueiro fundou o “Colégio Padre Trigueiro” (internato e externato), primeiro educandário do “Médio Paraopeba”, bem como a “Corporação Padre Trigueiro”, em 20.10.1878.

·     Em 14.08.1893, circulou o jornal “Cidade do Bonfim”, por iniciativa do Padre Francisco Ângelo D’Almeida.

·     A Paróquia criada em 05.05.1751, então pertencente à Arquidiocese de Mariana, passando para a de Belo Horizonte em 11.021921.

·      No princípio do século XIX, o Padre Francisco de Paula (Padre Chiquinho) idealizou o “Carnaval a Cavalo”, lindo folclore, festa típica de Bonfim.

·       Em 1935, o Juiz José Júlio de Freitas Coutinho lançou manifesto propondo a criação da Associação Brasileira de Magistrados – AMB – sendo Bonfim o berço da entidade que congrega quinze mil juízes.

·       Na década de 1940, esteve preso em Bonfim D. Carlos Duarte, Bispo de Maura, criador da Igreja Apostólica Brasileira (conhecida como Igreja Católica Brasileira).

·       Na década de 1920, implantou-se a rodovia BH/Brumadinho/Bonfim. Em 1988, ligou-se Bonfim à rodovia “Fernão Dias”, pavimentada. Em 2007, pavimentação Bonfim/Piedade dos Gerais.

·       Em 20.08.1918, criou-se a “E.E. Melo Viana”.

·       Depois vieram o “Externato D. Benevides”, Colégio do Prof. Pimenta, “Ginásio N. S. do Bonfim”, Faculdade de Ensino Normal Superior UNIPAC. Em 1967, Escola Agrícola, pelo Estado de Minas.

·      Em 1987, Aparício Ribeiro Filho criou Fábrica de peteca, com o nome “Bonfim Produtos Esportivos Ltda”.

·       Na década de 20, Francisco Luis e Waldemiro Rocha fundaram “Laticínios Santa Clara”. Depois veio a “Cooperativa de Leite”.

·     Em 01/09/1915, “Santa Casa de Caridade” e o atual prédio deve-se a Daniel Pereira Mendes.

·      Hospital São José, em 19.11.1950. Hoje, “Unidade Básica de Saúde Dr. Homero José dos Santos”.

·      Criou-se o asilo “Lar Sagrada Família”.

·      Depois, a imagem de Cristo Redentor, a Rádio Bonfim Esperança, a sede da Sociedade São Vicente de Paulo, iniciativas de Jadir Mota.

·       Na década de 1920, Frederico Schimidt e filhos construíram a primeira usina hidrelétrica da região, no Aroucas. Em 1947, o Prefeito José Marques Monteiro construiu a usina de “Caquende”.

·       Em 12.04.2005, criou-se cadeira na Academia Municipalista de Letras para representação de Bonfim, eleito o acadêmico Francisco Vieira das Chagas, que tem como patrono o escritor bonfinense José Silva Martins.

·      Questão sumamente importante de Bonfim: possui dezenas de bonfinenses ilustríssimos, professores catedráticos, escritores, poetas, poliglotas, magistrados, oradores, escultores, pintores, políticos ocupantes de altos postos nos governos, compositores, instrumentistas.

·      Dois bonfinenses chefiaram Poder: Dr. Aristides Alexandre Campos, médico, Governador do Estado do Espírito Santo; Desembargador Lúcio Urbano Silva Martins, Presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

·       O escritor José Silva Martins detentor de prêmio nacional de literatura e vencedor de quarenta concursos literários.

·       Dois cientistas internacionais: Professor José Baeta (medicina) e Prof. Feliciano Henriques (odontologia).

Fonte: Arquivo da Casa de Cultura

Localização:

 

Macrorregião: Intermediária da Região Metalúrgica e Campos das Vertentes

Mesorregião: Metropolitana de Belo Horizonte

Microrregião: Itaguara

Superintendência Regional de Ensino:  Metropolitana – A

Região de Planejamento: Central

Pólo Regional de Ensino (Sede): Central

Taxa de Urbanização: 37,2%

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2000): 0,715

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – Educação (2000): 0,808

 

Distâncias

Dista 90Km de Belo Horizonte:

  • Pela rodovia BR-381, saída no Km 519 em direção a Rio Manso, pela Rodovia Dr. Lúcio Urbano.

  • Pela BR-040, de Belo Horizonte até o Km 578, trevo para Moeda e daí em direção a Oeste, em 24km de estrada de terra até Bonfim.

  • Pela MG-040, de Ibirité a Brumadinho e deste ponto mais 24Km de estrada de terra até Bonfim.

Existe uma rodovia municipal de Brumadinho a Bonfim, via Vargem Alegre. De Belo Horizonte para Bonfim, existem linhas de ônibus diárias da empresa “Santa Rita Turismo” passando por Brumadinho, Rio Manso e Moeda. Há também um coletivo com saída de Bonfim, via BR-381, de segunda a sábado, às 5 horas e retorno de Belo Horizonte às 18h30min.

Extensão territorial

O município possui uma área de 309Km² e uma topografia acidentada com trechos de campos ondulados (40%) e montanhoso (50%). São apenas (10%) de solos planos.

População

A população conforme dados do IBGE de 2010 é de 6.818 habitantes.

Infra-estrutura

Energia elétrica: Cia Energética de Minas Gerais – CEMIG

Abastecimento de  água: Cia de saneamento de Minas Gerais- COPASA

Telefonia móvel: Claro e Vivo

Aspectos geográficos

Clima: média anual 21,90° C

Altitude máxima: 1197m

Altitude mínima: 702m

Bacia hidrográfica: subafluentes do Rio Paraopeba, da Bacia do Rio São Francisco. Rio Macaúbas e Ribeirão Águas Claras.